O que é Onboarding? Como aplicar? Saiba tudo!

Por Adrielly Marcelino

 

Você já ouviu falar sobre onboarding? Sabe o que é? Em Recursos Humanos, esse termo refere-se ao processo de integração de profissionais recém contratados na empresa. De origem inglesa, a palavra onboarding significa “embarcar” em tradução livre.

 

Esse processo tem o propósito de elevar o engajamento e a probabilidade de retenção de empregados. Você quer saber como fazer seu funcionário se sentir parte do time ao embarcar na empresa? Descubra ao ler esse artigo. 

Por que investir em onboarding?

O que é onboarding?

Novo empregado ao chegar na empresa

 

Hoje, acontece uma disputa acirrada entre empresas inovadoras por profissionais capacitados e talentosos, todavia muitos casos de turnover acontecem por conta de uma experiência inicial negativa. 

 

Veja os dados publicados pela Harvard Business Review¹ acerca da rotatividade de empregados com base nos Estados Unidos: 

 

  • Cerca de 33% dos recém contratados buscam outro emprego logo nos 6 primeiros meses de trabalho – entre os Millennials a quantidade é ainda maior e ocorre mais cedo.
  • Os custos organizacionais ocasionados pela rotatividade de funcionários são estimados entre 100% e 300% do salário do funcionário substituído. 
  • Em média, um empregado leva 8 meses de experiência para desempenhar suas tarefas com máxima performance. 
  • 23% dos novos contratados são desligados antes de concluir um ano de empresa.

 

Para que serve onboarding?No Brasil, a taxa de rotatividade nas empresas cresceu 82% entre 2012 e 2014, de acordo com uma pesquisa realizada pela Robert Half, especialistas em Recrutamento e Seleção. Mário Custódio,  gerente de RH da Robert Half, afirma que esses números refletem a concorrência por profissionais qualificados no mercado de trabalho.

 

A maior incidência de casos de desligamento precoce acontece entre profissionais de tecnologia devido a emergência de vagas no setor. Entre os profissionais de Inside Sales, a média de rotatividade é de 35% por ano (Hubspot, 2018).¹

 

Já pensou em quanto tempo, trabalho e dinheiro você investiu para contratar um profissional que resultou em mais um desligamento precoce? 

como fazer onboarding

 

Turnover: como reduzir?

Estruturar e executar o onboarding dos recém contratados é uma forma eficaz de reduzir a rotatividade de funcionários. Um onboarding adequado promove

 integração e capacita o funcionário para desempenhar tarefas com alta performance. 

 

Durante a integração, o stress inicial pode ser convertido em aprendizado e bom relacionamento com os colegas. Além disso, é um excelente momento para que o colaborador entenda melhor sobre o produto/serviço ofertado pela empresa. 

 

Nós já falamos sobre os motivos para investir nesse processo e quais são seus benefícios. Agora, falaremos um pouco sobre como desenvolver o processo de onboarding

 

Pré Onboarding

Sua proposta de emprego foi aceita pelo candidato? Oba! Então é hora de começar o pré onboarding, um conjunto inicial de ações para recebê-lo. Você pode começar investindo no envio regular de emails sobre a empresa, seus valores e nicho de atuação. 

 

Mas não se esqueça de um ponto importante: você não quer causar ansiedade ao funcionário, certo? Então cuidado com a quantidade de emails e o tamanho do material. 

 

No primeiro dia de trabalho, pergunte se surgiu alguma dúvida após a leitura. Não se esqueça de quebrar o gelo inicial! Mostre para ele a empresa e apresente seus colegas de trabalho. 

 

A política de apadrinhamento vem sendo adotada por muitas empresas, onde um voluntário com mais tempo de casa é o “padrinho” que auxilia o recém chegado. O objetivo é promover bom relacionamento entre colegas e liberar o tempo gasto pelo gestor para sanar dúvidas.

 

 

Como assimilar a cultura empresarial?

Qual é a missão, a visão e os valores da sua empresa? Quais são as metas para esse ano? 

 

A resposta de tais perguntas vai te ajudar a compreender a cultura organizacional da empresa e qual é a conduta que se espera dos funcionários. Conte a história da companhia e seus exponha seus valores. Se houver registros de um evento anual, por exemplo, mostre para o recém contratado. 

 

 

Apostar em uma metodologia prática de assimilação cultura organizacional é uma ótima ideia. Um grande exemplo disso, é a Loggi, uma startup brasileira que atua no mercado de entregas.

 

Ao se tornar um “logger”, o novo funcionário aprende na prática os valores e como funcionam as operações da Loggi em um dia de trabalho no galpão de entregas e na área de experiência do consumidor. O objetivo dessa metodologia prática, é que o colaborador aprenda rapidamente como funciona o serviço e quais são os valores da companhia ao lidar com clientes. 

 

No final da semana de onboarding, acontece um happy hour e o colaborador vive mais uma nova experiência: ser um cliente especial da Loggi, recebendo em sua casa um kit personalizado de “boas vindas”. 

 

Que onboarding inovador, não? O processo de integração dos recém contratados marca a experiência do funcionário. Isso pode até parecer algo simples, mas não é. Essa vivência inicial delineia sua reputação como empregador e constrói sua Employer Branding

 

E-learning: vantagens da capacitação corporativa

 

De maneira simplificada, e-learning é uma modalidade de ensino a distância (EAD), que promove conteúdo educacional através de diversas plataformas, como tablets, smartphones e computadores por exemplo. 

 

Em comparação ao ensino presencial, a modalidade de ensino a distância exige custos menores e proporciona mais flexibilidade ao estudante. Afinal, as aulas podem ser acessadas em qualquer horário e de qualquer lugar. Devido sua praticidade e a grande quantidade de recursos educacionais presentes no e-learning, a capacitação corporativa torna-se cada vez mais popular. Capacitar os empregados proporciona maior performance no desempenho das tarefas.

 

A capacitação também valoriza seu funcionário. Após concluir um curso, ele pode inseri-lo em seu curriculum ou LinkedIn. Quem sabe, até mesmo sentir-se motivado para investir em sua educação e profissionalização. 

 

Na internet há uma grande variedade de cursos online com carga horária pequena, de 2 ou 3 horas por exemplo. Nem todos cursos são pagos, existem cursos gratuitos de plataformas renomadas como a Endeavor, focada em estratégia e inovação, e o Sebrae, que abrange diversas áreas. 

 

Então por que não separar um dia do período de onboarding para o colaborador aprender mais sobre sua área de atuação? Aprender estimula o ânimo e trás vontade de colocar a mão na massa. Ademais, você pode descobrir um talento em seu empregado que você nem imaginava 

 

  • Vale destacar: você não precisa de um computador robusto para realizar um curso online e a maioria dos cursos possuem certificado.

 

Personalize: torne seu onboarding único

 

Lembra-se do kit de boas vindas da Loggi que citamos no parágrafo sobre cultura empresarial? Essa é uma particularidade do processo de integração deles. Qual é a característica única do seu processo de onboarding?

 

Se você ainda não se decidiu, saiba que essa característica é muito especial. Pode ser um livro, um caderno, uma caneca ou até mesmo um café da tarde com os colegas. 

 

Se a sua empresa possui um app mobile corporativo, ele será uma ótima ferramenta para receber o novo colaborador. Faça uma publicação de boas vindas, dessa forma os colegas saberão que o time ganhou um novo integrante. Isso mantém os funcionários antenados sobre as novidades da empresa e pode ajudar no entrosamento.

 

 

Use os canais de Comunicação Interna a seu favor

Embora seja uma tendência comunicacional, nem todas empresas digitalizaram sua comunicação e desenvolveram seu próprio aplicativo mobile. Portanto, apresente o seu app corporativo e disponibilize o link para download aos novos empregados durante o onboarding

 

O aplicativo mobile corporativo pode auxiliar e dar mais autonomia ao novo empregado. No aplicativo, você pode criar uma biblioteca com a documentação de treinamento, manuais e normas da empresa, portanto se o funcionário possuir uma dúvida ele pode diretamente checar no app ao invés de solicitar ajuda.

 

Você também pode criar um menu com links personalizados que irão para a plataforma do convênio, intranet ou qualquer outro portal externo de interesse dos empregados. Mas e se for realmente necessário pedir ajuda? Então é só clicar no “Fale conosco”, um canal de contato direto com a empresa através do app mobile corporativo.

 

Mais um recurso que torna a comunicação mais ágil e pode te ajudar muito são as push notifications. Surgiu um comunicado importante e que precisa ser dado com rapidez? Envie um alerta! Ele surgirá na tela do celular e ainda pode conter um link que direciona para outra plataforma.

 

Confira o vídeo sobre o aplicativo de Comunicação Interna da Becton Dickinson e seu case para saber mais sobre os recursos e impactos que a Comunicação Interna digital pode oferecer. 

 

Aplicativo para Comunicação Interna

 

Confira outras matérias que podem auxiliar sua estratégia de Comunicação Interna em 2020:

 

Share Button